30/08/2009

Buenos Aires

video

Saudades de andar por tuas ruas, de ouvir tua fala, de ver tuas belezas, sentir teu encanto, da educação do teu povo, do teu trânsito estranho, do teu ar... viciei em você.


27/08/2009

...

Já não me importa o tic-tac do tempo

Em pensamento me transporto a um momento

que ainda está por vir

24/08/2009

As cordas do violão estão esticadas demais.

20/08/2009

Pérola

"Leio pouco porque me dá sono", diz Lula em entrevista à Folha de São Paulo.

Ouvindo-o falar ninguém consegue duvidar disso.

16/08/2009

Quem sou eu para discordar...

Zé Simão hoje na Folha:
"Congresso Nacional se gradear vira zoológico, se murar vira presídio, se cobrir com lona vira circo, se botar lanterna vermelha vira puteiro e se der a descarga não sobra ninguém".

08/08/2009

Nada é tão simples quanto pode parecer

Cá estou eu pensante (isso é sempre um perigo).

O vídeo de um acidente que vi na internet desta vez foi o pavio. Uma estrada, dois carros em mãos contrárias, um não consegue fazer a curva e pronto, acabou. Um minuto mais ou um minuto menos e aquela gente nunca teria se encontrado.

Pensava na verdade em como coisas bobas, escolhas tolas, podem afetar todo o nosso futuro. E em como nem nos damos conta disso.

Talvez se cada pequena decisão fosse outra, muita coisa seria diferente.

Escolhemos uma rua ao invés da outra e jamais saberemos o que podíamos ter encontrado ali.

Estivéssemos num dado momento em outro lugar, fazendo qualquer outra coisa e nunca teríamos conhecido pessoas que hoje nos são tão queridas.

E se naquele dia eu tivesse saído de casa? E se não tivesse faltado àquela aula? E se eu não tivesse ido àquela festa? Se eu tivesse virado uma esquina antes? E se eu tivesse dito sim? E se eu tivesse dito não?

Quantos amores não foram encontrados num simples esbarrão em uma esquina? Ou, sendo mais moderna, num estar ao mesmo tempo em algum site da internet? Quantas pessoas perdemos por não termos ido a algum lugar?

Ao escolher uma determinada coisa, ainda que a escolha seja inconsciente e banal, estamos eliminando outras possibilidades, renunciando a outros desfechos.

Não sei para você, mas essa fragilidade, esse saber que um momento pode mudar uma vida, e saber que minhas escolhas mais banais podem afetar e alterar o rumo de outras vidas, isso me assusta.

Viver é muita responsabilidade.

06/08/2009

Caminhando e...

Queria entender os caminhos que trouxeram-me ao presente momento...
Que decisões tomadas trouxeram-me a este agora?
Quais foram os segundos decisivos?
Ou teria sido uma sequência de escolhas?
Queria tão somente uma imagem coerente...
Mas na grande balbúrdia que se formou, eu somente pude somar outra dúvida:
Onde me levará este caminhar de agora?

03/08/2009

Mary Help em Terça Insana