04/03/2010

Pensando os pensamentos


Há algo curioso acerca dos pensamentos, quase nunca consigo transformá-los em palavras.
Não é raro que alguém me pergunte sobre o que estou pensando e eu não consiga responder. Assim como também não é raro que eu pense e repense o que quero dizer e quando finalmente vou externar isso, não consiga dizer nem a metade das coisas que pensei e nem da forma como pensei.
A maioria dos pensamentos não são concretos, não podem ser impressos em palavras. A velocidade com que eles transitam não me dão essa possibilidade. Só eu os entendo, se os tentasse explicar careceriam de sentido e conexão.
Há os que ajudem a entender a vida, as pessoas, há os que ajudem a ser paciente e compreensiva, mas há muitos também que não levam a lugar algum. Ao contrário, desgastam e ferem, mas eles acontecem sozinhos, simplesmente penso. É um processo parecido com o ruminar.
Melhor seria se a gente pudesse escolher os pensamentos, deletar os que não gosta e favoritar os úteis, mas não acontece assim.
Se ao menos pensar me deixasse mais racional...

"A vida mais doce é não pensar em nada." Friedrich Nietzsche

4 contracenaram:

Mario Arkus disse...

É provável que aquilo que mais custa de externar são os sentimentos que acompanham os pensamentos, mas neste sentido tambem algumas palavras representam os sentimentos mesmos. A linguagem é uma simplificação da complexidade do pensamento, mas também é uma criadora de ideias mais complexas ainda.
Quero dizer: pensamento, sentimentos e linguagem interatuam o tempo tudo e é dificil separar eles como num laboratório. Por que aparecem algumas idéias é bem dificil de dizer, e muitas vezes tambem elas não vem da "nada". Mas uma coisa é verdade: enquanto pensamos, somos (o cogito ergo sum de Descartes)e tambem, em algum outro sentido, vivemos (ou somos) enquanto somos pensados (ou lembrados: vivo dum memoror).
Confucio diz que quando as idéias se compreendem, as palavras se esquecem, e só ficam as idéias. "Onde é que eu posso achar ao homem que esqueceu das palavras? Com esse eu quero falar".

P.S.: Muito complicado para escrever numa lingua que não é a minha: tenho as idéias mas me faltam as palavras ;-D
A. vc m., sabia?

Marcone França disse...

Olá,

"Melhor seria se a gente pudesse escolher os pensamentos, deletar os que não gosta e favoritar os úteis, mas não acontece assim"

Já tive muita vontade até mesmo de não pensar pelo menos por alguns momentos. Mas seguimos pensando.

Abraços!
Obrigado pela força.

Pelos caminhos da vida. disse...

M de Mulher:

Seus Malabarismos Mágicos Manipulam Marionetes.
Meninas, Mães, Madres, Marquesas e Ministras.
Madalenas ou Marias.

Marinas ou Madonas.
Elas são Manhãs e Madrugadas.
Mártires e Massacradas.
Mas sempre Maravilhosas, essas Moças Melindrosas.
Mergulham em Mares e Madrepérolas, em Margaridas e Miosótis.
E são Marinheiras e Magníficas.
Mimam Mascotes.
Multiplicam Memórias e Milhares de Momentos.
Marcam suas Mudanças.
Momentâneas ou Milenares, Mudas ou Murmurantes,
Multicoloridas ou Monocromáticas, Megalomaníacas ou Modestas,
Musculosas, Maliciosas, Maquiadoras, Maquinistas,
Manicures, Maiores, Menores, Madrastas,
Madrinhas, Manhosas, Maduras, Molecas,
Melodiosas, Modernas, Magrinhas.
São Músicas, Misturas, Mármore e Minério.
Merecem Mundos e não Migalhas.
Merecem Medalhas.
São Monumentos em Movimento, esses Milhões de Mulheres Maiúsculas.

(texto tirado da net).

FELIZ DIA INTERNACIONAL DA MULHER.

beijooo.

Olavo disse...

tambem vivo em um turbilão de pensamentos..tão intensos..que externar nada.
Bom final de semana..beijo.