25/06/2011

Home sweet home

Eu já comentei que sempre me reservo o direito de mudar de idéia?

Pois é, um dos poucos privilégios que me concedo. De mais a mais, sempre parto da premissa de que só não muda de idéia quem não tem idéia pra mudar. É uma boa desculpa, mas eu realmente prefiro pensar nisso como flexibilidade e não como instabilidade.

Assim que há uns dias pensei em não escrever mais aqui. Zerar tudo. As vezes sente-se essa necessidade de fechar um ciclo. Parar com tudo. Pelo meu bem, pelo bem de outros. Ou talvez simplesmente por não ter mais forças de continuar como estava. Mas eu não posso me tirar todas as coisas que gosto. Pensando um pouquinho que seja, não há sentido. Não preciso me colocar de castigo.

Enfim, o Scene provavelmente vai mudar a rota. Assim como eu. Mas - e de jeito nenhum desmerecendo os dois ou três leitores que por aqui passam (adoro a interação) - eu preciso mesmo é extravasar escrevendo, me sinto bem assim, mesmo que ninguém me leia. O importante é escrever. Qualquer coisa, sejam assuntos mais sérios, besteiras, coisas do dia-a-dia, meus medos ou tormentos, não importa. Preciso disso. Quero isso. E cá estou. E cá permaneço.

É um pouco como voltar pra casa.

7 contracenaram:

Eu e a solidão/Ro disse...

Ah, e quem não pensou em abandonar tudo, sumir por uns tempos e depois voltar que atire a primeira pedra... Eu já fiz isso, algumas vezes, mas me concedo o direito de voltar e escrever como se nada tivesse acontecido... rsrs meio maluca né?


Beijos!

Claudia disse...

Já pensei tantas vezes em fechar o Nov@mente...me cobro não ter assunto ou quando escrevo ou posto fotos acho que estou enganando os outros, só enchendo "linguiça", ocupando espaço...
Mas de repente crio 1 ou 2 posts que me agradam e ai fico por mais um tempo.

Que bom que resolver ficar. Venho sempre te ler e gosto muito do que leio e vejo aqui.
bjs e um ótimo sábado.

Alvaro Vianna disse...

Fico contente que tenha voltado. Acho que todos temos em comum esses rompantes de querer deixar para trás o blog; cada um com seus motivos.
Manter me parece sempre mais importante. Sempre sinto como perda quando alguém vai embora.
Feliz retorno, moça.

Taís disse...

Ro, Claudia e Alvaro: as vezes eu passo muitos dias sem escrever aqui, mas me impôr não escrever nunca mais foi como me colocar de castigo mesmo. Acho que as vezes levamos tudo à sério demais e, na maioria das vezes, basta que façamos o que temos vontade de fazer e pronto. Sem complicar mais.
Muito obrigada por estarem aqui!
bjos

Nah disse...

"Ah, e quem não pensou em abandonar tudo, sumir por uns tempos e depois voltar que atire a primeira pedra..."

Verdade!
Mas, quem ama blogar nunca persiste nesse pensamento! Espero que você escreva novos "atos", mas nunca largue o espetáculo! ;)

Taís disse...

Nah: não até que se fechem as cortinas :)
bjos

Nah disse...

^^
Amém!
E eu tinha sumido, mas voltei também!
bjo!